Páginas

segunda-feira, 28 de julho de 2008

VAQUEJADA LAGOA DO MATO

02 e 03 agosto grande vaquejada na Lagoa do Mato
VALOR premiacao: 10.000,00 -
inscriçao 100,00 + 30,00 p/ circuito do vale
1º. lugar = 1.900,00
2º. lugar = 1.500,00
3º. ao 10º = 700,00
AMADOR B e C 4 VAGAS VALOR 250,00
CONCORRE NO PROFISSIONAL-
FORRO NA QUADRA DA CAPELA COM FORROZAO XAMEGO BOM(SABADO)

segunda-feira, 14 de julho de 2008

2º BOLÃO DE VAQUEJADA


A equipe do Haras 4x4, Paulo Diógenes e Guilherme Diógenes ficou em 6º lugar no bolão de Vaquejada no Parque São Severino na comunidade "BOM LUGAR III ASSÚ/RN.

terça-feira, 8 de julho de 2008

VAQUEJADA DA LAGOA DO MATO

Data da vaqueja na lagoa do mato sera dia 02 e 03 agosto.

VALOR premiacao: 10.000,00 - inscriçao 100,00 + 30,00 p/ circuito do vale

1º. lugar = 1.900,00

2º. lugar = 1.500,00

3º. ao 10º = 700,00

AMADOR B e C 4 VAGAS

VALOR 250,00

CONCORRE NO PROFISSIONAL- FORRO NA QUADRA DA CAPELA COM FORROZAO XAMEGO BOM(SABADO)

A EQUIPE QUE CORRER NO SABADO RECEBE CARNE PARA O CHURRASCO.

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Oração Do Vaqueiro e Do Cavalo

Deus pai todo-poderoso, luz do Universo.Vós que sois o criador da vida e de todas as coisas, concedei derramar sobre nós, teus filhos, cavalos, e vaqueiros que aqui estamos, as tuas bênçãos e a tua divina proteção.Dai-nos Senhor:- A saúde e o vigor, para que possamos competir com garra em busca da vitória...- A lealdade, para que busquemos o podium com determinação e coragem, mas com respeito pelos nossos adversários, vendo em cada um deles um amigo e um companheiro de jornada...- A prudência, para que não venhamos a nos ferir no ardor da disputa...- A paciência, para que entendamos que a vitória, símbolo do sucesso, é o resultado do trabalho árduo e deve ser conquistada degrau a degrau...- A humildade, para façamos de cada sucesso um estímulo para caminharmos sempre em frente e cada tropeço um aprendizado de que pouco sabemos, e é preciso aprender mais...- A gratidão, para que, no momento da vitória, saibamos que a conquista só foi possível pelo trabalho e dedicação de muitos: cavalos, treinadores, tratadores, juízes, locutores, vaqueiros, promotores, veterinários, motoristas e até o do público que vem nos assistir...Senhor, dai-nos também:- A bondade, para tratarmos nossos animais com respeito, amor e atenção, jamais esquecendo de agradecer a eles pelo trabalho realizado...- A generosidade, para que no futuro, quando nosso inseparável amigo de tantos galopes da vitória estiver velho e cansado, não mais podendo nos auxiliar nas conquistas, receba de nós o amor e os cuidados para que possa terminar seus dias com dignidade e, chamado por vós, galope feliz sentindo em seu dorso o nosso carinho e nossa saudade, pelos verdes campos de tua divina morada...Pai, dai-nos finalmente:- O patriotismo para que se um dia lograrmos merecer representar o nosso pais pelas pistas de vaquejadas do mundo, saibamos, como tantos outros, honrar o seu nome, sua gente e suas tradições.- A virtude, para que jamais nos afastemos dos nobres ideais da vaquejada e para que antes de campeões, possamos ser cidadãos de bem...E a fé, para crermos que tudo vem de vós, senhor do universo e nosso Pai eterno.Que assim seja!

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Historia das Vaquejada

Na época dos coronéis, quando não havia cercas no sertão nordestino, os animais eram marcados e soltos na mata. Depois de alguns meses, os coronéis reuniam os peões (vaqueiros) para juntar o gado marcado. Eram as pegas de gado, que originariamente aconteciam no Rio Grande do Norte. Montados em seus cavalos, vestidos com gibões de couro, estes bravos vaqueiros se embrenhavam na mata cerrada em busca dos bois, fazendo malabarismos para escaparem dos arranhões de espinhos e pontas de galhos secos. Alguns animais se reproduziam no mato. Os filhotes eram selvagens por nunca terem mantido contato com seres humanos, e eram esses animais os mais difíceis de serem capturados. Mesmo assim, os bravos vaqueiros perseguiam, laçavam e traziam os bois aos pés do coronel. Nessa luta, alguns desses homens se destacavam por sua valentia e habilidade, e foi daí que surgiu a idéia da realização de disputas.O Rio Grande do Norte é apontado como o estado que deu o primeiro passo para a prática da vaquejada, esporte que emociona e arrasta multidões para os parques onde acontecem as competições, feiras e apresentações de forró.O historiador Câmara Cascudo dizia que por volta de 1810 ainda não existia a vaquejada, mas já se tinha conhecimento de uma atividade parecida. Era a derrubada de vara de ferrão, praticada em Portugal e na Espanha, onde o peão utilizava uma vara para pegar o boi. Mas derrubar o boi pelo rabo, a vaquejada tradicional, é puramente nordestina. Na região Seridó do Rio Grande do Norte, onde tudo começou, era impossível o uso da vara, pois o campo era muito acidentado e a mata muito fechada, e por essa razão tudo indica que foi o vaqueiro seridoense o primeiro a derrubar boi pelo rabo.Somente em 1874 apareceu o primeiro registro de informação sobre vaquejada. O escritor José de Alencar escreveu a respeito da "puxada de rabo de boi" no Ceará, mas não como sendo algo novo, ele deixou claro que a prática já ocorria anteriormente. E se existia no Ceará, era indiscutível que pudesse existir em estados vizinhos como, Rio Grande do Norte, Paraíba e Piauí, já que eram regiões tão semelhantes nos hábitos, atividade econômica e social, e ambiente físico. Foi isso que levantou a suspeita dos pesquisadores. Eles descobriram pela tradição falada que muito antes de 1870 já se praticava vaquejada no Seridó Potiguar. Uma indicação para isso era a existência dos currais de apartação de bois, que deram origem ao nome da cidade de Currais Novos, também no Rio Grande do Norte. Esses currais foram feitos em 1760. E era entre 1760 e 1790 que acontecia em Currais Novos a apartação e feira de gado. Foram dessas apartações que surgiram as vaquejadas. O pátio de apartação de São Bento, no município de Currais Novos foi construído em 1830.No Nordeste, desde a colonização, o gado sempre foi criado solto. A coragem e a habilidade dos vaqueiros eram indispensáveis para que se mantivesse o gado junto. O vaqueiro veio tangendo os bois, abrindo estradas e desbravando regiões. Foram eles os grandes desbravadores do sertão nordestino, e muito especialmente do sertão do Seridó, região cheia de contos e lendas de bois e de vaqueiros.Por: Kátia CamposJornalistaNatal - RN
Anos 40...Sem registros precisos de datas, sabe-se apenas que em meados de 1940 os vaqueiros de várias partes do nordeste começaram a tornar público suas habilidades, na Corrida do Mourão, que começou a ser um esporte popular na região nordeste.Os coronéis e senhores de engenho passaram a organizar torneios de vaquejadas, onde os participantes eram os vaqueiros, e os patrões faziam apostas entre si, mas ainda não existiam premiações para os campeões. Os coronéis davam apenas um "agrado" para os vaqueiros que venciam. A festa se tornou um bom passatempo para os patrões, suas mulheres e seus filhos.Após alguns anos, pequenos fazendeiros de várias partes do nordeste começaram a promover um novo tipo de vaquejada, onde os vaqueiros tinham que pagar uma quantia em dinheiro, para ter direito a participar da disputa. O dinheiro era usado para a organização do evento e para premiar os vencedores.As montarias, que eram formadas basicamente por cavalos nativos daquela região, foram sendo substituídas por animais de melhor linhagem. O chão de terra batida e cascalho, ao qual os peões estavam acostumados a enfrentar, deu lugar a uma superfície de areia, com limites definidos e regulamento. Cada dupla tinha direito a correr três bois. O primeiro boi valia 8 (oito) pontos, o segundo valia 9 (nove) e o terceiro boi correspondia a 10 ( dez ) pontos. Esses pontos eram somados e no final da vaquejada era feita a contagem de pontos, a dupla que somasse mais pontos era campeã, e recebia um valor em dinheiro. Esse tipo de vaquejada foi e ainda é chamada de "bolão".Com o tempo, a vaquejada se popularizou de tal forma que existem clubes e associações de vaqueiros em todos os Estados do Nordeste, calendários de eventos e patrocinadores de peso, envolvendo um espírito de competição e alegria capaz de arrastar multidões, "embriagando" de emoção os participantes.
Evolução da Vaquejada
De 1880 a 1910: A prática era com a lida do boi, a apresentação nos sítios e fazendas. Não existia formalmente o termo Vaquejada. O Brasil vivia um momento de transição da Monarquia para a República. As músicas de Chiquinha Gonzaga estouravam nas paradas de sucesso.
De 1920 a 1950: A idéia da festa da vaquejada começava a existir com as brincadeiras de argolas e corridas de pé-de-mourão. Nesse período, o temido Lampião costumava participar das festinhas com argolas, em fazendas de amigos. Na época destacavam-se, na música, Noel Rosa, Ari Barroso, e surgia um garoto chamado Luiz Gonzaga no Brasil republicano, onde brilhou a estrela de Getúlio Vargas.
De 1960 aos anos 70: Começam a ser disputadas as primeiras vaquejadas na faixa dos seis metros. O público ainda não havia despertado para o futuro esporte. Eram festinhas de amigos, com participação mínima de vaqueiros. O Brasil vivia a época da ditadura. O forró de Luiz Gonzaga, Trio Nordestino, Marinês e outros animavam as festas.
De 1980 aos anos 90: Mudanças nas regras da vaquejada. A faixa dos seis metros, que exigia força do vaqueiro, passou a ser de dez metros, cuja principal característica é a técnica. Começam a ser distribuídos prêmios para os competidores, mas o público ainda era pequeno. Época em que o País inteiro foi às ruas gritar pelas eleições diretas que foram consolidadas em 1988.
Anos 90 até a atualidade: A vaquejada é encarada como um grande negócio. Os organizadores começam a cobrar ingressos e o público entende a proposta. O vaqueiro é reconhecido como um atleta da pista. Nasce um novo forró com o surgimento de bandas como "Mastruz com Leite", uma verdadeira evolução do mercado fonográfico. Resultado: parques lotados e, a cada ano, surgem mais pessoas interessadas pelo esporte.
O Peão de vaquejada hoje é regulamentado pela Lei nº 10.220, de 11 de abril de 2001, que considera "atleta profissional o peão de rodeio ... Entendem-se como provas de rodeios as montarias em bovinos e eqüinos, as vaquejadas e provas de laço, promovidas por entidades públicas ou privadas, além de outras atividades profissionais da modalidade organizadas pelos atletas e entidades dessa prática esportiva".Empresários de todo o País vêem o evento como um grande e próspero negócio. As vaquejadas são consideradas "Grandes Eventos Populares" deixando de ser uma simples manifestação Cultural Nordestina, e atraindo um excelente público onde quer que aconteçam.

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Vaquejada e Esporte

Vaquejada é um grande esporte,
Um esporte brasileiro.
Composta por três seres,
Boi, puxador e esteireiro.
Vaquejada é um grande esporte,
Onde o esteira e puxador contam com a sorte.
Derrubar a rês dentro da faixa,
Sem a rês queimá-la.
Vaquejada é um grande esporte,
É um esporte de raíz,
Quem começa os trabalhos é o locutor,
Quem dá a nota é o juíz.
Vaquejada é um grande esporte,
Esporte de norte ao sul do país.
Se tem a rês derrubada na faixa,
Com certeza é vaqueiro de raíz.
Vaquejada é um grande esporte,
Esporte amados por todos.
Sendo um vaqueiro ou não,
Ame-a ou deixe

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Vaquejada em Cartaz

Paraú

12 de julho/08
Premiação Total Não Divulgada

35ª Vaquejada de Currais NOVO-RN-2008
11,12 e 13 de Julho de 2008
Parque Silvio Bezerra de Melo
Currais Novo-RN
Premiação Total Não Divulgada

11ª Vaquejada de Campo Grande-RN-2008
18,19 e 20 de Julho de 2008
Parque Veras Campo Grande-RN
Organização: Antônio Veras e Familia Contato: (84)9416-2899
Premiação Total R$ 120.000,00 em prêmios
ANQM R$ 5.000,00 em prêmios
Categoria Amador R$ 25.000,00 em prêmios
Categoria Prata R$ 25.000,00 em prêmios
Categoria Profissional R$ 65.000,00 em prêmios

36ª Vaquejada de Santana do Matos-RN-2008
25,26 e 27 de Julho de 2008
Parque Manoel de França Assunção Santana do Matos-RN
Organização: Washington/Marcelo Silva/Luiz Marcelo/Nivaldo/Gilmar Locutor
Contato: (84)9991-5186/9955-0016
Premiação Total R$ 46.000,00 em prêmios
Categoria Amador "A" R$ 15.000,00 em prêmios
Categoria Amador “B" R$ 1.500,00 em prêmios
Categoria Amador “C" R$ 1.500,00 em prêmios
Categoria Profissional R$ 28.000,00 em prêmios

1º Vaquejada em Lagoa do Mato- Assú/RN
Agosto Não Divulgado data/premiação

4ª Vaquejada em Vera Cruz-RN-2008
02 e Agosto de 2008
Parque Rancho SalesVera Cruz-RN
Organização: Marcio SalesPremiação Total Não Divulgada

2ª Grande Vaquejada de Parelhas-RN-2008
15,16 e 17 de Agosto de 2008
Parque & Haras LuizaParelhas-RN
Organização: Sr.Ricardo
Premiação Total Não Divulgada

27ª Vaquejada de Santo Antônio-RN-2008
12,13 e 14 de Stembro de 2008
Parque Afrisio Barros Silva Santo Antônio do Salto da Onça-RN
Organização: Marcelo Barbalho e FamiliaPremiação Total R$ 124.000,00 em prêmios
Categoria Amador FEVAP R$ 27.750,00 em prêmios
Categoria Amador Regional R$ 10.000,00 em prêmios
Categoria Intermediária R$ 27.750,00 em prêmios
Categoria PAINT HORSE R$ 6.000,00 em prêmios
Categoria Profissional R$ 52.500,00 em prêmios

ANQM-2008
12 de outubro de 2008
Parque porcino Park Center
Mossoro-RN
Organização: Fabio e Junior PorcinoPremiação Total Não Divulgada

terça-feira, 1 de julho de 2008

Fotos Vaquejada de Jucurutu



Paulo Diógenes e Guilherme Diógenes
com os cavalos de nome
"Cel. Patrick e Cel. Paulo Freed"