Páginas

segunda-feira, 30 de junho de 2008

Resultados Das Vaquejadas Na Nossa Região Mês de Junho

Triunfo Potiguar

Guilherme Diógenes e Paulo Diógenes em 2º lugar Categoria Amador "C"

Jucurutu

Paulo Diógenes e Guilherme Diógenes Perderam na disputa. Categoria Profissional

Assú

Guilherme Diógenes e Paulo Diógenes em 2º lugar na Categoria Amador "C"

Pataxó

Guilherme Diógenes e Paulo Diógenes 1º lugar na categoria MIRIM

quinta-feira, 26 de junho de 2008

Vaquejada em Pataxó



Um dos participantes do haras 4x4 Guilherme Diógenes continua treinando para a proxima vaquejada neste DOMINGO em PATAXÓ.

segunda-feira, 23 de junho de 2008

Vaquejada de Assu/RN



Neste fim de semana aconteceu uma grande Vaquejada em Assu no Parque João Etelvino Lopes. Onde um dos Participante do Haras 4x4 Guilherme Diógenes Montenegro ficou em 2° lugar na categoria ¨C¨.

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Grande Vaquejada em Assu/Rn, neste Sabado e Domingo no parque " João Etelvino Filho"

quinta-feira, 12 de junho de 2008

O Haras 4x4 tem uma equipe que representa todas as vaquejada na nossa região. Guilherme Diógenes, Andre Diógenes, Paulo Diógenes e Ketson Diógenes. Além de Marcos Montenegro e Wilma Diógenes como torcedores.
Representação do Haras 4x4 no São João Parck Clube Assú/RN.
"Guilherme Diógenes e Ketson"








Vaquejada de Jucurutu Guilherme Diógenes








Vaquejada de Ipanguaçu.
Guilherme Diógenes e Paulo Diógenes




Vaquajada do Alto do Rodrigues,
André Diógenes e Guilherme Diógenes


Em Assú/RN, a família Diógenes Montenegro sempre teve o objetivo de criar cavalos “Quarto de Milha”. O início da criação se deu em janeiro de 2004, quando um dos proprietários, Guilherme Diógenes Montenegro, foi presenteado com um cavalo da referida raça, de nome Cel. Paulo Fred, com apenas seis meses de vida, e logo de início foi construída uma acomodação para o mesmo. A partir de então surgiu o desejo em ampliar a criação desses animais. Começou-se então a construção de outras baias , fazer piquetes com plantio de FENO (tifano) para criação do referido animal e dos outros da qual segue.
De 2005 a 2007 chegaram novos cavalos todos de raça quarto de milha com registro na ABQM - Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha. Cel. Patrik, Cel. Fredelian Cel. Marcos Fred, Cel. Domingos Fred e Dona Edina Fred. Tendo como proprietários Marcos Antonio Montenegro de Medeiros, Wilma Cabral Diógenes Montenegro, Beatriz Diógenes Montenegro e Guilherme Diógenes Montenegro.
Desde então a família Diógenes Montenegro vem se especializando na criação de cavalos dessa raça, e para tanto, objetiva a sua ampliação com a implantação do Haras 4x4.
OBJETIVOS
GERAL
• Criar cavalos da raça Quarto de Milha, visando à divulgação de seus produtos e serviços em Vaquejadas, exposições, cavalgadas e festas, procurando mostrar ao público em geral as características destes animais buscando a comercialização de seus produtos e serviços de forma justa e competente.
ESPECÍFICOS
• Agregar valor aos animais com a plantação e venda de feno para as propriedades da região que possuem animais que consumem este produto, e ao consumo dos animais alojados na propriedade;
• Alugar cavalos para cobertura em égua de nossa região, com a fidelidade de procriar a espécie.
• Vender sêmem da raça quarto de milha para proprietários de cavalos de todo nordeste brasileiro e todo BRASIL.
• Vender filhotes para aqueles que são admiradores da raça eqüina brasileira.
• Alugar baias para acomodação de cavalos que necessita o bem estar em um determinado período da semana do mês ou do ano.
• Manter em seu plantel animal aptos para aluguel de charretes, cavalgada e passeio.
Implementar a atividade de entretenimento para crianças e pessoas da terceira idade em hotel fazenda.
JUSTIFICATIVA
O trabalho se justifica, principalmente, por se tratar de um desejo da família Diógenes Montenegro em implantar um haras com animais da ração quarto de milha. A escolha da raça quarto de milha começou quando um dos proprietários foi presenteado e daí começou-se a comprar mais cavalos de referida raça.
Além do mais, a região do Vale do Assu/RN, em que a fazenda se localiza, por suas características é carente de atividades nesse segmento.
Todavia, o desenvolvimento da criação desta espécie de cavalo em nossa região com vendas de filhotes, semêm e coberturas em égua de criadores da região, tornará a atividade competitiva e atrativa para o mercado local, ao estimular atividades afins.
O fator do entretenimento, por exemplo, em serviços de cavalgada e passeios de charrete torna-se um diferencial para o mercado de cavalos na região.
CAVALOS QUARTO DE MILHA: A origem da raça
Segundo a Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Quarto de Milha – ABQM, a raça de Cavalos Quarto de Milha foi a primeira a ser desenvolvida na América. Ela surgiu nos Estados Unidos por volta do ano de 1600. Os primeiros animais que a originou foram trazidos da Arábia e Turquia à América do Norte Pelos exploradores e comerciantes espanhóis.
Os garanhões escolhidos eram cruzados com éguas que vieram da Inglaterra, em 1611. Os cruzamentos produziram cavalos compactos, com músculos fortes, podendo correr distâncias curtas mais rapidamente do que nenhuma outra raça.
Com a lida no campo, no desbravamento do Oeste Norte-Americano, o cavalo foi se especializando no trabalho com o gado. Nos finais de semana, os colonizadores divertiam-se, promovendo corridas nas ruas das vilas e pelas estradas dos campos, perto das plantações, com distância de um Quarto de Milha (402 metros), originando o nome do cavalo.
Foi fundada em 15 de março de 1940, a American Quarter Horse Association (AQHA), em College Station, Texas. Em 1946, a AQHA se transferiu para Amarillo, Texas, onde se encontra até hoje, tornando-se a maior associação de criadores do mundo, com cerca de 338 mil sócios e mais de 4,2 milhões de cavalos registrados, divididos em 43 países, representando 52% dos eqüinos em todo o mundo (dados até 31/12/2002).
DESCRIÇÕES DAS CARACTERÍSTICAS GERAIS DO PADRÃO RACIAL
“QUARTO DE MILHA"

Aparência - de força e tranqüilidade. Quando não trabalhando, deve conservar-se calmo, mantendo a própria força sob controle. Na posição parada, mantém-se reunido, com os posteriores sob a massa, apoiando nos quatro pés, podendo partir rapidamente em qualquer direção.
Pelagem - admite-se que a pelagem do Quarto de Milha possa ser alazã, alazã tostada, baia, baia amarilha ou palomina, castanha, rosilha, tordilha, lobuna, preta e zaina. Não serão admitidos, para registro, animais pampas, pintados e brancos, em todas as suas variedades.
Andamento - harmonioso, em reta, natural, baixo. O pé é levantado livremente e recolocado de uma só vez no solo, constituindo-se no trote de campo.
Altura - são cavalos cuja altura é, em média, de 1,50 m. São robustos e muito musculados.
PESO - 500 quilogramas, em média.
Cabeça - pequena e leve. Em posição normal, deve-se ligar ao pescoço em ângulo de 45º. Perfil anterior reto.
Faces - cheias, grandes, muito musculosas, redondas e chatas, vistas de lado; discretamente convexas e abertas de dentro para fora, vista de frente, o que proporciona ganachas bem mais largas que a garganta. Desta forma, a flexão da cabeça é muito acentuada, permitindo grande obediência às rédeas.
Fronte - ampla.
Orelhas - pequenas, alertas, bem distanciadas entre si.
OLHOS - grandes e, devido ao fato de a testa ser larga, bem afastados entre si permitindo um amplo campo visual, tanto para a frente como para trás, ao mesmo tempo, com o mesmo olho.
Narinas - grandes.
Boca - pouco profunda, permitindo grande sensibilidade às embocaduras.
Focinho - pequeno.
Pescoço - comprimento médio. Deve inserir-se no tronco em ângulo de 45º porém, bem destacado do mesmo. Somente a JUNÇÃO entre o pescoço e a cernelha deve ser gradual.
O bordo inferior - do pescoço é comparativamente reto e deve destacar-se nitidamente do tronco assegurando flexibilidade.
O bordo superior - é reto, quando o cavalo está com a cabeça na posição normal.
Garganta - estreita, permitindo grande obediência às rédeas.
Musculatura - bem pronunciada, tanto vista de lado, como de cima. As fêmeas têm pescoço proporcionalmente mais longo, garganta mais estreita e desenvolvimento muscular menor. O Quarto de Milha, quando em trabalho, mantém a cabeça baixa, podendo, assim, usá-la melhor e permitindo ao cavaleiro uma perfeita visão sobre ela.
Tronco - da cernelha ao lombo deve ser curto e bem musculado: Não "selado" especialmente nos animais de lida. Isto permite mudanças rápidas de direção e grande resistência ao peso do cavaleiro e arreamentos. De perfil, é aceitável o declive gradual de 5º a 8º da garupa à base da cernelha. O vértice da cernelha e a junção do lombo com a garupa devem estar aproximadamente no mesmo nível.
Cernelha-bem definida, de altura e espessura médias.
DORSO - bem musculado ao lado das vértebras e, visto de perfil, com muita discreta inclinação de trás para frente. Tendo aparência semi-chata, o arreamento comum deve cobrir toda essa área.
Lombo - curto, com musculatura acentuadamente forte.
Garupa - longa, discretamente inclinada, para permitir ao animal manter os posteriores normalmente embaixo da massa (engajamento natural).
Peito - profundo e amplo. O peito, visto de perfil, deve ultrapassar nitidamente a linha dos antebraços, estreitando-se, porém, no ponto superior da curvatura, de forma a diferenciar-se nitidamente do pescoço. Vista de frente, a interaxila tem forma de "V" invertido, devido à desenvolvida musculatura dos braços e antebraços.
Tórax - amplo, com costelas largas, próximas, inclinadas, elásticas. O cilhadouro deve ser bem mais baixo que o codilho.
MEMBROS ANTERIORES
Espádua
- deve ter ângulo de aproximadamente 45º, denotado, equilíbrio e permitindo a absorção dos choques transmitidos pelos membros.
Braços - musculosos interna e externamente.
Antebraços - o prolongamento da musculatura interna dos braços proporciona ao bordo inferior do peito, quando visto de frente, a forma de "V" invertido, dando ao cavalo a aparência atlética e saudável. Externamente, a musculatura do antebraço também é pronunciada. O comprimento do antebraço é um terço a um quarto maior que a canela.
Joelhos - vistos de frente são cheios, grandes e redondos; vistos de perfil, retos e sem desvios.
Canelas - não muito curtas. Vistas de lado, são chatas, seguindo o prumo do joelho ao boleto; vista de frente, igualmente sem desvios.
Quartelas - de comprimento médio, limpas, em ângulo de 45º, idêntico a da espádua, e continuam pelos cascos com a mesma inclinação.
Cascos - de tamanho médio, formato aproximadamente semi-circular, com talões bem afastados, sem desvios.
MEMBROS POSTERIORES
Coxas - longas, largas, planas, poderosas, bem conformadas, fortemente musculadas, mais largas que a garupa.
Soldra - recoberta por musculatura bem destacada, poderosa.
Pernas - muito musculosas. Essencialmente importante é o desenvolvimento muscular homogêneo, tanto interno quanto externamente.
Jarretes - baixos. Por trás, são largos, limpos, aprumados; de perfil, largos, poderosos, estendendo-se em retaaté os boletos.
Canelas - mais largas discretamente mais longas e mais grossas que as anteriores. De lado, são chatas. São convenientes canelas mais curtas, tornando o jarrete mais próximo do solo, permitindo voltas rápidas e paradas curtas.
O CAVALO ABQM NO BRASIL
Ainda, de acordo com a ABQM (2008), tudo começou em 1955, quando a Swift-King Ranch (SKR) importou seis animais dos Estados Unidos para o Brasil, vindos de sua matriz norte-americana, a famosa King Ranch, no Texas, a maior fazenda dos EUA. À medida que vários pecuaristas, banqueiros e homens de negócios tiveram a oportunidade de conhecer os animais Quarto de Milha, começaram a pressionar a SKR para que lhes vendessem alguns exemplares. A companhia atendeu a poucos criadores, vendendo um número reduzido de potros.
Em 15 de agosto de 1969, foi fundada a Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha (ABQM), no Parque da Água Branca, em São Paulo, onde se encontra atualmente.
Atualmente, o plantel brasileiro é composto, segundo dados fornecidos pelo Stud Book da ABQM, atualizados até 31/12/2006, por 309.000 mil animais registrados, com 46,9 mil criadores e proprietários e cadastrados, espalhados por todos os estados brasileiros.
CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO
O haras 4x4 propriedade com nove hectares de várzea localizada na BR: 304 km 117- Assú/RN próximo ao rio Piranhas-Assú.
ESTRUTURA:
O haras 4x4 será composto de vários animais de raça quarto de milha. Terá local apropriado em uma propriedade excelente para criação de animais, uma casa, uma apartamento, armazém, 05 baias,(4x5) armazém(selaria e rações) estábulo(7x10), 08 piquetes (10x10) campo de fenação, veiculo para transporte dos animais, trailer , poço, irrigação completa eletrificação, cerca com 8 fio de arame, tanque com a capacidade de 50 mil litros d’água, plantação de milho, feijão, feno, manga, caju, acerola, pinha, graviola, umbu, e seriguela, 01 vaca leiteira, 07 cavalos, 01 charrete.
Todavia, os Cavalos da raça Quarto de Milha se apresentam como os animais mais versáteis. Com características especiais, o cavalo movimenta milhões de dólares pelo mundo inteiro através de corridas e esportes, além de grandes exposições, cavalgadas e festas, exclusivas destinadas ao comércio de produtos característicos e as competições que julgam a habilidade, qualidade e beleza deste animal.

Os cavalos do Haras 4x4 em estudo, além de possuírem estas aptidões, apresentam outros atributos em comum: todos têm uma conformação equilibrada, excelentes movimentação e capacidade atlética para as competições de vaquejada e cavalgadas. São treinados diariamente para suas funções, possuindo um temperamento calmo e equilibrado, fundamental para o desenvolvimento de suas atividades.







Cel. Domingos e Cel. Patrick

Cel. Marcos Fred e Cel. Fredelian


Cel. Domingos


Dona Edna

Cel. Paulo Fred


Pampinha



Baias


Charrete


Piquetes