Páginas

domingo, 21 de dezembro de 2008

Retrospectiva 2008 - Vaquejada

Reveja as principais fotos e vídeos de vaquejada da equipe do HARAS 4x4 que marcaram o ano de 2008. Guilherme Diógenes, Andre Diógenes e Paulo



















video



video



video



video




video



video




wilmadiogenes@hotmail.com

sábado, 20 de dezembro de 2008

"Feliz Natal"

Semeando um Feliz Natal

As sementes da vida precisam ser semeadas
com paz e amor, e assim, poder gerar o alimento
que precisamos para viver.
Viver com alegria,
coragem e determinação de seguir adiante.
Viver o presente
com sabedoria e plenitude
para que o ontem
seja um sonho de felicidade
e cada amanhã
uma visão de esperança.
Feliz Natal e um Ano Novo cheio de realizações...

São os Votos da Família HARAS 4x4

Bolão em Délcio Cosme

Hoje tem um grande bolão de vaquejada,
noParque João Etelvino Lopes
Organização: Délcio Cosme

A equipe do Haras 4x4, vai com sua representação, Guilherme Diógenes, Andre e Paulo.

wilmadiogenes@hotmail.com

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Hoje eu vou fazer uma homenagem especial ao meu pai que neste dia 07 de dezembro de 2008 vai fazer 1º Aniversário de falecimento.

José Diógenes Paiva, nasceu no dia 15.05.1927, na fazenda Santa Rita município de Portalegre, Rio Grande do Norte, filho mais velho do casal de saudosa memória Augêncio Gomes de Paiva e Antonieta Fernandes de Paiva da sua união Augêncio e Dona Antonieta nasceram José Diógenes, Ademar Diógenes (IN MEMORIUM) Dagmar Diógenes, Edimar Diógenes e Sebastião Diógenes (tião)).
De sua cidade natal Riacho da Cruz, veio para Assu quando no dia 12 de janeiro de 1957 contraiu o matrimônio com Maria José Cabral Paiva (Zezé) Dessa união nasceram seus filhos Wilton, Wilma, Wila e Wilza, os quais se casaram e construíram familiares, daí seus netos: De Wilton e Simone Rodrigues (Arícia e Wilton Junior) De Wilma e Marcos Montenegro ( Beatriz e Guilherme) De Wila e Agenor Galliza( Anyole e André) De Wilza e José Antonio de Abreu ( Arnaud e Rosane).
José Diógenes, Bem jovem veio residir na cidade de Assú, passando a trabalhar ao lado do seu cunhado Agnaldo Gurgel. Sua maneira simples de ser fez construir um ciclo de amizade passando a participar da comunidade Assuense. Estudou no Educandário Nossa Senhora das Vitórias onde se formou em técnico em contabilidade. Zé Diógenes no seu trabalho cotidiano de contabilista ou contador, também fazia parte de outros segmentos da sociedade Assú, como: Agropecuarista, procurador publico do Patrimônio de São João Batista presidente do Instituto Padre Ibiapina, Sócio e fundador da Radio Princesa do Vale e proprietário da antiga Drogaria Continental.
Papai! Você se foi, mas saiba, onde estiver, será sempre nosso pai, esposo, avô, tio sogro, amigo, companheiro de todas as horas. Te adoro, te admiro por ter feito muito por todos nós. Ninguém melhor que Deus para ter colocado Você em nossas vidas. De quem te ama muito, sua esposa, Filhos, netos, genros, nora, irmãos, sobrinhos, amigos. E demais familiares.
Saudades!
Wilmadiogenes@hotmail.com

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Haras 4x4 Assú/Rn Criação de Cavalos Quarto de Milha

O Haras 4x4 possui campos da variedade cuja produção é destinada ao consumo dos animais alojados na propriedade. Os animais, por sua vez, ficam distribuídos em piquetes de pastejo ou em uma das baias localizadas na propriedade. O principal objetivo é promover o desenvolvimento da criação do cavalo Quarto de Milha em nossa região, com vendas de filhotes, semêm e coberturas em égua de terceiro, ou seja, de égua de criadores da região, fazendo com que haja uma melhoria no plantel eqüino na nossa região. O nome dos animais, Cel. Paulo Fred, Cel. Marcos Fred, Cel. Domingos Cel. Patrick, Dona Edina, Cel. Fredelian. A chegada de mais dois animais Cel. Giga fred e Dona Meirinha fred. Dia 29/11/08

Cel. Giga













Dona Meirinha












wilmadiogenes@hotmail.com

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Haras 4x4



A equipe do Haras 4x4 finais de semana a turma da vaqueirama daquela localidade se reúne para passar a boiada. Andre Diógenes, Paulo do Bolo e Guilherme Diógenes.









Vaquejada de Lajes

video




segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Vaquejada Ipanguaçu

A equipe do Haras 4x4 Guilherme Diógenes, que com apenas 14 anos de idade vem sempre se destacando nas vaquejada aqui na nossa região, tem tambem o Paulo e o André Diógenes.
Essa equipe esta pronta para participar nesse fim de semana 25 e 26 do corrente mês, de uma grande Vaquejada na Base Fisica(Parque Wallison Dantas Morais).

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Cel Marcos Freed, de raça quarto de milha com 3 anos, proprietária, BEATRIZ DIÓGENES. É um dos cavalos do haras 4x4 que esta tirando prêmio em todas as vaquejadas que esta participando. Além do animal ser ágil e veloz. Tem tambem a participação da equipe Guilherme Diógenes , Paulo e Andre Diógenes.

wilmadiogenes@hotmail.com

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Haras 4x4 Assú/Rn Criação de Cavalos Quarto de Milha



Dona Edna
Haras 4x4 Assú/RN
Raça: Quarto de Milha
Nascimento: 2 anos
Proprietário: Wilma Diógenes











Cel. Domingos
Haras 4x4 Assú/Rn
Raça: Quarto de Milha
Nascimento: 3 anos
Proprietário: Guilherme Diógenes













Cel. Paulo Freed
Haras 4x4 Assú/Rn
Raça:Quarto de Milha/Inglês
Nascimento 4 Anos
Proprietário: Guilherme Diógenes











Cel. Patrick
Haras 4x4 Assú/Rn
Raça: Quarto de Milha
Nascimento: 5 anos
Proprietário: Beatriz Diógenes













Cel. Fredson
Haras 4x4 Assú/Rn
Raça: Quarto de Milha
Nascimento: 6 Anos
Proprietário: Andre Diógenes
















Cel. Marcos Freed
Haras 4x4 Assú/Rn
Raça: Quarto De Milha
Nascimento: 3 anos
Proprietário: Beatriz Diógenes







A família Diógenes Montenegro vem se especializando na criação de cavalos dessa raça, e para tanto, objetiva a sua ampliação com a implantação do Haras 4x4.

Os cavalos do Haras em estudo, além de possuírem estas aptidões, apresentam outros atributos em comum: todos têm uma conformação equilibrada, excelentes movimentação e capacidade atlética para as competições de vaquejada e cavalgadas. São treinados diariamente para suas funções, possuindo um temperamento calmo e equilibrado, fundamental para o desenvolvimento de suas atividades.
OBJETIVOS

Criar cavalos da raça Quarto de Milha, visando à divulgação de seus produtos e serviços em Vaquejadas, exposições, cavalgadas e festas, procurando mostrar ao público em geral as características destes animais buscando a comercialização de seus produtos e serviços de forma justa e competente.






























Haras 4x4 Assú/Rn (Dona Edna)


Quarto de Milha
O MAIS VERSÁTIL

História: Primeira raça desenvolvida nas Américas, o Quarto de Milha é típico do oeste americano. Surgiu no início de 1600, resultado do cruzamento de animais da Arábia e Turquia. Destaque para sua habilidade em lidar com o gado.Características: Bem definido, compacto e musculoso, é um animal ágil e veloz para atividades em pequenas distâncias. Nenhum outro animal o supera em ¼ de milha. Apesar de sua força e habilidade, é muito dócil e confiável.Utilização: Muito usado no campo, se destaca em provas funcionais que exigem agilidade e/ou velocidade, tais como: tambor e baliza, vaquejada, laço, rédeas, apartação, corridas, working cow horse, team penning, entre outras.No Brasil: O primeiro cavalo a chegar foi importado da famosa King Ranch do Texas, maior fazenda dos EUA. No Brasil são mais de 285 mil cavalos registrados e divididos entre 39 mil criadores e proprietários.

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Vaquejada Ipanguaçu

A equipe do Haras 4x4
Guilherme Diógenes e Paulo
5º lugar na XV vaquejada
Parque Nossa Senhora de Lourdes"Ipanguaçu".








segunda-feira, 4 de agosto de 2008

segunda-feira, 28 de julho de 2008

VAQUEJADA LAGOA DO MATO

02 e 03 agosto grande vaquejada na Lagoa do Mato
VALOR premiacao: 10.000,00 -
inscriçao 100,00 + 30,00 p/ circuito do vale
1º. lugar = 1.900,00
2º. lugar = 1.500,00
3º. ao 10º = 700,00
AMADOR B e C 4 VAGAS VALOR 250,00
CONCORRE NO PROFISSIONAL-
FORRO NA QUADRA DA CAPELA COM FORROZAO XAMEGO BOM(SABADO)

segunda-feira, 14 de julho de 2008

2º BOLÃO DE VAQUEJADA


A equipe do Haras 4x4, Paulo Diógenes e Guilherme Diógenes ficou em 6º lugar no bolão de Vaquejada no Parque São Severino na comunidade "BOM LUGAR III ASSÚ/RN.

terça-feira, 8 de julho de 2008

VAQUEJADA DA LAGOA DO MATO

Data da vaqueja na lagoa do mato sera dia 02 e 03 agosto.

VALOR premiacao: 10.000,00 - inscriçao 100,00 + 30,00 p/ circuito do vale

1º. lugar = 1.900,00

2º. lugar = 1.500,00

3º. ao 10º = 700,00

AMADOR B e C 4 VAGAS

VALOR 250,00

CONCORRE NO PROFISSIONAL- FORRO NA QUADRA DA CAPELA COM FORROZAO XAMEGO BOM(SABADO)

A EQUIPE QUE CORRER NO SABADO RECEBE CARNE PARA O CHURRASCO.

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Oração Do Vaqueiro e Do Cavalo

Deus pai todo-poderoso, luz do Universo.Vós que sois o criador da vida e de todas as coisas, concedei derramar sobre nós, teus filhos, cavalos, e vaqueiros que aqui estamos, as tuas bênçãos e a tua divina proteção.Dai-nos Senhor:- A saúde e o vigor, para que possamos competir com garra em busca da vitória...- A lealdade, para que busquemos o podium com determinação e coragem, mas com respeito pelos nossos adversários, vendo em cada um deles um amigo e um companheiro de jornada...- A prudência, para que não venhamos a nos ferir no ardor da disputa...- A paciência, para que entendamos que a vitória, símbolo do sucesso, é o resultado do trabalho árduo e deve ser conquistada degrau a degrau...- A humildade, para façamos de cada sucesso um estímulo para caminharmos sempre em frente e cada tropeço um aprendizado de que pouco sabemos, e é preciso aprender mais...- A gratidão, para que, no momento da vitória, saibamos que a conquista só foi possível pelo trabalho e dedicação de muitos: cavalos, treinadores, tratadores, juízes, locutores, vaqueiros, promotores, veterinários, motoristas e até o do público que vem nos assistir...Senhor, dai-nos também:- A bondade, para tratarmos nossos animais com respeito, amor e atenção, jamais esquecendo de agradecer a eles pelo trabalho realizado...- A generosidade, para que no futuro, quando nosso inseparável amigo de tantos galopes da vitória estiver velho e cansado, não mais podendo nos auxiliar nas conquistas, receba de nós o amor e os cuidados para que possa terminar seus dias com dignidade e, chamado por vós, galope feliz sentindo em seu dorso o nosso carinho e nossa saudade, pelos verdes campos de tua divina morada...Pai, dai-nos finalmente:- O patriotismo para que se um dia lograrmos merecer representar o nosso pais pelas pistas de vaquejadas do mundo, saibamos, como tantos outros, honrar o seu nome, sua gente e suas tradições.- A virtude, para que jamais nos afastemos dos nobres ideais da vaquejada e para que antes de campeões, possamos ser cidadãos de bem...E a fé, para crermos que tudo vem de vós, senhor do universo e nosso Pai eterno.Que assim seja!

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Historia das Vaquejada

Na época dos coronéis, quando não havia cercas no sertão nordestino, os animais eram marcados e soltos na mata. Depois de alguns meses, os coronéis reuniam os peões (vaqueiros) para juntar o gado marcado. Eram as pegas de gado, que originariamente aconteciam no Rio Grande do Norte. Montados em seus cavalos, vestidos com gibões de couro, estes bravos vaqueiros se embrenhavam na mata cerrada em busca dos bois, fazendo malabarismos para escaparem dos arranhões de espinhos e pontas de galhos secos. Alguns animais se reproduziam no mato. Os filhotes eram selvagens por nunca terem mantido contato com seres humanos, e eram esses animais os mais difíceis de serem capturados. Mesmo assim, os bravos vaqueiros perseguiam, laçavam e traziam os bois aos pés do coronel. Nessa luta, alguns desses homens se destacavam por sua valentia e habilidade, e foi daí que surgiu a idéia da realização de disputas.O Rio Grande do Norte é apontado como o estado que deu o primeiro passo para a prática da vaquejada, esporte que emociona e arrasta multidões para os parques onde acontecem as competições, feiras e apresentações de forró.O historiador Câmara Cascudo dizia que por volta de 1810 ainda não existia a vaquejada, mas já se tinha conhecimento de uma atividade parecida. Era a derrubada de vara de ferrão, praticada em Portugal e na Espanha, onde o peão utilizava uma vara para pegar o boi. Mas derrubar o boi pelo rabo, a vaquejada tradicional, é puramente nordestina. Na região Seridó do Rio Grande do Norte, onde tudo começou, era impossível o uso da vara, pois o campo era muito acidentado e a mata muito fechada, e por essa razão tudo indica que foi o vaqueiro seridoense o primeiro a derrubar boi pelo rabo.Somente em 1874 apareceu o primeiro registro de informação sobre vaquejada. O escritor José de Alencar escreveu a respeito da "puxada de rabo de boi" no Ceará, mas não como sendo algo novo, ele deixou claro que a prática já ocorria anteriormente. E se existia no Ceará, era indiscutível que pudesse existir em estados vizinhos como, Rio Grande do Norte, Paraíba e Piauí, já que eram regiões tão semelhantes nos hábitos, atividade econômica e social, e ambiente físico. Foi isso que levantou a suspeita dos pesquisadores. Eles descobriram pela tradição falada que muito antes de 1870 já se praticava vaquejada no Seridó Potiguar. Uma indicação para isso era a existência dos currais de apartação de bois, que deram origem ao nome da cidade de Currais Novos, também no Rio Grande do Norte. Esses currais foram feitos em 1760. E era entre 1760 e 1790 que acontecia em Currais Novos a apartação e feira de gado. Foram dessas apartações que surgiram as vaquejadas. O pátio de apartação de São Bento, no município de Currais Novos foi construído em 1830.No Nordeste, desde a colonização, o gado sempre foi criado solto. A coragem e a habilidade dos vaqueiros eram indispensáveis para que se mantivesse o gado junto. O vaqueiro veio tangendo os bois, abrindo estradas e desbravando regiões. Foram eles os grandes desbravadores do sertão nordestino, e muito especialmente do sertão do Seridó, região cheia de contos e lendas de bois e de vaqueiros.Por: Kátia CamposJornalistaNatal - RN
Anos 40...Sem registros precisos de datas, sabe-se apenas que em meados de 1940 os vaqueiros de várias partes do nordeste começaram a tornar público suas habilidades, na Corrida do Mourão, que começou a ser um esporte popular na região nordeste.Os coronéis e senhores de engenho passaram a organizar torneios de vaquejadas, onde os participantes eram os vaqueiros, e os patrões faziam apostas entre si, mas ainda não existiam premiações para os campeões. Os coronéis davam apenas um "agrado" para os vaqueiros que venciam. A festa se tornou um bom passatempo para os patrões, suas mulheres e seus filhos.Após alguns anos, pequenos fazendeiros de várias partes do nordeste começaram a promover um novo tipo de vaquejada, onde os vaqueiros tinham que pagar uma quantia em dinheiro, para ter direito a participar da disputa. O dinheiro era usado para a organização do evento e para premiar os vencedores.As montarias, que eram formadas basicamente por cavalos nativos daquela região, foram sendo substituídas por animais de melhor linhagem. O chão de terra batida e cascalho, ao qual os peões estavam acostumados a enfrentar, deu lugar a uma superfície de areia, com limites definidos e regulamento. Cada dupla tinha direito a correr três bois. O primeiro boi valia 8 (oito) pontos, o segundo valia 9 (nove) e o terceiro boi correspondia a 10 ( dez ) pontos. Esses pontos eram somados e no final da vaquejada era feita a contagem de pontos, a dupla que somasse mais pontos era campeã, e recebia um valor em dinheiro. Esse tipo de vaquejada foi e ainda é chamada de "bolão".Com o tempo, a vaquejada se popularizou de tal forma que existem clubes e associações de vaqueiros em todos os Estados do Nordeste, calendários de eventos e patrocinadores de peso, envolvendo um espírito de competição e alegria capaz de arrastar multidões, "embriagando" de emoção os participantes.
Evolução da Vaquejada
De 1880 a 1910: A prática era com a lida do boi, a apresentação nos sítios e fazendas. Não existia formalmente o termo Vaquejada. O Brasil vivia um momento de transição da Monarquia para a República. As músicas de Chiquinha Gonzaga estouravam nas paradas de sucesso.
De 1920 a 1950: A idéia da festa da vaquejada começava a existir com as brincadeiras de argolas e corridas de pé-de-mourão. Nesse período, o temido Lampião costumava participar das festinhas com argolas, em fazendas de amigos. Na época destacavam-se, na música, Noel Rosa, Ari Barroso, e surgia um garoto chamado Luiz Gonzaga no Brasil republicano, onde brilhou a estrela de Getúlio Vargas.
De 1960 aos anos 70: Começam a ser disputadas as primeiras vaquejadas na faixa dos seis metros. O público ainda não havia despertado para o futuro esporte. Eram festinhas de amigos, com participação mínima de vaqueiros. O Brasil vivia a época da ditadura. O forró de Luiz Gonzaga, Trio Nordestino, Marinês e outros animavam as festas.
De 1980 aos anos 90: Mudanças nas regras da vaquejada. A faixa dos seis metros, que exigia força do vaqueiro, passou a ser de dez metros, cuja principal característica é a técnica. Começam a ser distribuídos prêmios para os competidores, mas o público ainda era pequeno. Época em que o País inteiro foi às ruas gritar pelas eleições diretas que foram consolidadas em 1988.
Anos 90 até a atualidade: A vaquejada é encarada como um grande negócio. Os organizadores começam a cobrar ingressos e o público entende a proposta. O vaqueiro é reconhecido como um atleta da pista. Nasce um novo forró com o surgimento de bandas como "Mastruz com Leite", uma verdadeira evolução do mercado fonográfico. Resultado: parques lotados e, a cada ano, surgem mais pessoas interessadas pelo esporte.
O Peão de vaquejada hoje é regulamentado pela Lei nº 10.220, de 11 de abril de 2001, que considera "atleta profissional o peão de rodeio ... Entendem-se como provas de rodeios as montarias em bovinos e eqüinos, as vaquejadas e provas de laço, promovidas por entidades públicas ou privadas, além de outras atividades profissionais da modalidade organizadas pelos atletas e entidades dessa prática esportiva".Empresários de todo o País vêem o evento como um grande e próspero negócio. As vaquejadas são consideradas "Grandes Eventos Populares" deixando de ser uma simples manifestação Cultural Nordestina, e atraindo um excelente público onde quer que aconteçam.

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Vaquejada e Esporte

Vaquejada é um grande esporte,
Um esporte brasileiro.
Composta por três seres,
Boi, puxador e esteireiro.
Vaquejada é um grande esporte,
Onde o esteira e puxador contam com a sorte.
Derrubar a rês dentro da faixa,
Sem a rês queimá-la.
Vaquejada é um grande esporte,
É um esporte de raíz,
Quem começa os trabalhos é o locutor,
Quem dá a nota é o juíz.
Vaquejada é um grande esporte,
Esporte de norte ao sul do país.
Se tem a rês derrubada na faixa,
Com certeza é vaqueiro de raíz.
Vaquejada é um grande esporte,
Esporte amados por todos.
Sendo um vaqueiro ou não,
Ame-a ou deixe

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Vaquejada em Cartaz

Paraú

12 de julho/08
Premiação Total Não Divulgada

35ª Vaquejada de Currais NOVO-RN-2008
11,12 e 13 de Julho de 2008
Parque Silvio Bezerra de Melo
Currais Novo-RN
Premiação Total Não Divulgada

11ª Vaquejada de Campo Grande-RN-2008
18,19 e 20 de Julho de 2008
Parque Veras Campo Grande-RN
Organização: Antônio Veras e Familia Contato: (84)9416-2899
Premiação Total R$ 120.000,00 em prêmios
ANQM R$ 5.000,00 em prêmios
Categoria Amador R$ 25.000,00 em prêmios
Categoria Prata R$ 25.000,00 em prêmios
Categoria Profissional R$ 65.000,00 em prêmios

36ª Vaquejada de Santana do Matos-RN-2008
25,26 e 27 de Julho de 2008
Parque Manoel de França Assunção Santana do Matos-RN
Organização: Washington/Marcelo Silva/Luiz Marcelo/Nivaldo/Gilmar Locutor
Contato: (84)9991-5186/9955-0016
Premiação Total R$ 46.000,00 em prêmios
Categoria Amador "A" R$ 15.000,00 em prêmios
Categoria Amador “B" R$ 1.500,00 em prêmios
Categoria Amador “C" R$ 1.500,00 em prêmios
Categoria Profissional R$ 28.000,00 em prêmios

1º Vaquejada em Lagoa do Mato- Assú/RN
Agosto Não Divulgado data/premiação

4ª Vaquejada em Vera Cruz-RN-2008
02 e Agosto de 2008
Parque Rancho SalesVera Cruz-RN
Organização: Marcio SalesPremiação Total Não Divulgada

2ª Grande Vaquejada de Parelhas-RN-2008
15,16 e 17 de Agosto de 2008
Parque & Haras LuizaParelhas-RN
Organização: Sr.Ricardo
Premiação Total Não Divulgada

27ª Vaquejada de Santo Antônio-RN-2008
12,13 e 14 de Stembro de 2008
Parque Afrisio Barros Silva Santo Antônio do Salto da Onça-RN
Organização: Marcelo Barbalho e FamiliaPremiação Total R$ 124.000,00 em prêmios
Categoria Amador FEVAP R$ 27.750,00 em prêmios
Categoria Amador Regional R$ 10.000,00 em prêmios
Categoria Intermediária R$ 27.750,00 em prêmios
Categoria PAINT HORSE R$ 6.000,00 em prêmios
Categoria Profissional R$ 52.500,00 em prêmios

ANQM-2008
12 de outubro de 2008
Parque porcino Park Center
Mossoro-RN
Organização: Fabio e Junior PorcinoPremiação Total Não Divulgada

terça-feira, 1 de julho de 2008

Fotos Vaquejada de Jucurutu



Paulo Diógenes e Guilherme Diógenes
com os cavalos de nome
"Cel. Patrick e Cel. Paulo Freed"







segunda-feira, 30 de junho de 2008

Resultados Das Vaquejadas Na Nossa Região Mês de Junho

Triunfo Potiguar

Guilherme Diógenes e Paulo Diógenes em 2º lugar Categoria Amador "C"

Jucurutu

Paulo Diógenes e Guilherme Diógenes Perderam na disputa. Categoria Profissional

Assú

Guilherme Diógenes e Paulo Diógenes em 2º lugar na Categoria Amador "C"

Pataxó

Guilherme Diógenes e Paulo Diógenes 1º lugar na categoria MIRIM

quinta-feira, 26 de junho de 2008

Vaquejada em Pataxó



Um dos participantes do haras 4x4 Guilherme Diógenes continua treinando para a proxima vaquejada neste DOMINGO em PATAXÓ.

segunda-feira, 23 de junho de 2008

Vaquejada de Assu/RN



Neste fim de semana aconteceu uma grande Vaquejada em Assu no Parque João Etelvino Lopes. Onde um dos Participante do Haras 4x4 Guilherme Diógenes Montenegro ficou em 2° lugar na categoria ¨C¨.

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Grande Vaquejada em Assu/Rn, neste Sabado e Domingo no parque " João Etelvino Filho"

quinta-feira, 12 de junho de 2008

O Haras 4x4 tem uma equipe que representa todas as vaquejada na nossa região. Guilherme Diógenes, Andre Diógenes, Paulo Diógenes e Ketson Diógenes. Além de Marcos Montenegro e Wilma Diógenes como torcedores.
Representação do Haras 4x4 no São João Parck Clube Assú/RN.
"Guilherme Diógenes e Ketson"








Vaquejada de Jucurutu Guilherme Diógenes








Vaquejada de Ipanguaçu.
Guilherme Diógenes e Paulo Diógenes




Vaquajada do Alto do Rodrigues,
André Diógenes e Guilherme Diógenes


Em Assú/RN, a família Diógenes Montenegro sempre teve o objetivo de criar cavalos “Quarto de Milha”. O início da criação se deu em janeiro de 2004, quando um dos proprietários, Guilherme Diógenes Montenegro, foi presenteado com um cavalo da referida raça, de nome Cel. Paulo Fred, com apenas seis meses de vida, e logo de início foi construída uma acomodação para o mesmo. A partir de então surgiu o desejo em ampliar a criação desses animais. Começou-se então a construção de outras baias , fazer piquetes com plantio de FENO (tifano) para criação do referido animal e dos outros da qual segue.
De 2005 a 2007 chegaram novos cavalos todos de raça quarto de milha com registro na ABQM - Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha. Cel. Patrik, Cel. Fredelian Cel. Marcos Fred, Cel. Domingos Fred e Dona Edina Fred. Tendo como proprietários Marcos Antonio Montenegro de Medeiros, Wilma Cabral Diógenes Montenegro, Beatriz Diógenes Montenegro e Guilherme Diógenes Montenegro.
Desde então a família Diógenes Montenegro vem se especializando na criação de cavalos dessa raça, e para tanto, objetiva a sua ampliação com a implantação do Haras 4x4.
OBJETIVOS
GERAL
• Criar cavalos da raça Quarto de Milha, visando à divulgação de seus produtos e serviços em Vaquejadas, exposições, cavalgadas e festas, procurando mostrar ao público em geral as características destes animais buscando a comercialização de seus produtos e serviços de forma justa e competente.
ESPECÍFICOS
• Agregar valor aos animais com a plantação e venda de feno para as propriedades da região que possuem animais que consumem este produto, e ao consumo dos animais alojados na propriedade;
• Alugar cavalos para cobertura em égua de nossa região, com a fidelidade de procriar a espécie.
• Vender sêmem da raça quarto de milha para proprietários de cavalos de todo nordeste brasileiro e todo BRASIL.
• Vender filhotes para aqueles que são admiradores da raça eqüina brasileira.
• Alugar baias para acomodação de cavalos que necessita o bem estar em um determinado período da semana do mês ou do ano.
• Manter em seu plantel animal aptos para aluguel de charretes, cavalgada e passeio.
Implementar a atividade de entretenimento para crianças e pessoas da terceira idade em hotel fazenda.
JUSTIFICATIVA
O trabalho se justifica, principalmente, por se tratar de um desejo da família Diógenes Montenegro em implantar um haras com animais da ração quarto de milha. A escolha da raça quarto de milha começou quando um dos proprietários foi presenteado e daí começou-se a comprar mais cavalos de referida raça.
Além do mais, a região do Vale do Assu/RN, em que a fazenda se localiza, por suas características é carente de atividades nesse segmento.
Todavia, o desenvolvimento da criação desta espécie de cavalo em nossa região com vendas de filhotes, semêm e coberturas em égua de criadores da região, tornará a atividade competitiva e atrativa para o mercado local, ao estimular atividades afins.
O fator do entretenimento, por exemplo, em serviços de cavalgada e passeios de charrete torna-se um diferencial para o mercado de cavalos na região.
CAVALOS QUARTO DE MILHA: A origem da raça
Segundo a Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Quarto de Milha – ABQM, a raça de Cavalos Quarto de Milha foi a primeira a ser desenvolvida na América. Ela surgiu nos Estados Unidos por volta do ano de 1600. Os primeiros animais que a originou foram trazidos da Arábia e Turquia à América do Norte Pelos exploradores e comerciantes espanhóis.
Os garanhões escolhidos eram cruzados com éguas que vieram da Inglaterra, em 1611. Os cruzamentos produziram cavalos compactos, com músculos fortes, podendo correr distâncias curtas mais rapidamente do que nenhuma outra raça.
Com a lida no campo, no desbravamento do Oeste Norte-Americano, o cavalo foi se especializando no trabalho com o gado. Nos finais de semana, os colonizadores divertiam-se, promovendo corridas nas ruas das vilas e pelas estradas dos campos, perto das plantações, com distância de um Quarto de Milha (402 metros), originando o nome do cavalo.
Foi fundada em 15 de março de 1940, a American Quarter Horse Association (AQHA), em College Station, Texas. Em 1946, a AQHA se transferiu para Amarillo, Texas, onde se encontra até hoje, tornando-se a maior associação de criadores do mundo, com cerca de 338 mil sócios e mais de 4,2 milhões de cavalos registrados, divididos em 43 países, representando 52% dos eqüinos em todo o mundo (dados até 31/12/2002).
DESCRIÇÕES DAS CARACTERÍSTICAS GERAIS DO PADRÃO RACIAL
“QUARTO DE MILHA"

Aparência - de força e tranqüilidade. Quando não trabalhando, deve conservar-se calmo, mantendo a própria força sob controle. Na posição parada, mantém-se reunido, com os posteriores sob a massa, apoiando nos quatro pés, podendo partir rapidamente em qualquer direção.
Pelagem - admite-se que a pelagem do Quarto de Milha possa ser alazã, alazã tostada, baia, baia amarilha ou palomina, castanha, rosilha, tordilha, lobuna, preta e zaina. Não serão admitidos, para registro, animais pampas, pintados e brancos, em todas as suas variedades.
Andamento - harmonioso, em reta, natural, baixo. O pé é levantado livremente e recolocado de uma só vez no solo, constituindo-se no trote de campo.
Altura - são cavalos cuja altura é, em média, de 1,50 m. São robustos e muito musculados.
PESO - 500 quilogramas, em média.
Cabeça - pequena e leve. Em posição normal, deve-se ligar ao pescoço em ângulo de 45º. Perfil anterior reto.
Faces - cheias, grandes, muito musculosas, redondas e chatas, vistas de lado; discretamente convexas e abertas de dentro para fora, vista de frente, o que proporciona ganachas bem mais largas que a garganta. Desta forma, a flexão da cabeça é muito acentuada, permitindo grande obediência às rédeas.
Fronte - ampla.
Orelhas - pequenas, alertas, bem distanciadas entre si.
OLHOS - grandes e, devido ao fato de a testa ser larga, bem afastados entre si permitindo um amplo campo visual, tanto para a frente como para trás, ao mesmo tempo, com o mesmo olho.
Narinas - grandes.
Boca - pouco profunda, permitindo grande sensibilidade às embocaduras.
Focinho - pequeno.
Pescoço - comprimento médio. Deve inserir-se no tronco em ângulo de 45º porém, bem destacado do mesmo. Somente a JUNÇÃO entre o pescoço e a cernelha deve ser gradual.
O bordo inferior - do pescoço é comparativamente reto e deve destacar-se nitidamente do tronco assegurando flexibilidade.
O bordo superior - é reto, quando o cavalo está com a cabeça na posição normal.
Garganta - estreita, permitindo grande obediência às rédeas.
Musculatura - bem pronunciada, tanto vista de lado, como de cima. As fêmeas têm pescoço proporcionalmente mais longo, garganta mais estreita e desenvolvimento muscular menor. O Quarto de Milha, quando em trabalho, mantém a cabeça baixa, podendo, assim, usá-la melhor e permitindo ao cavaleiro uma perfeita visão sobre ela.
Tronco - da cernelha ao lombo deve ser curto e bem musculado: Não "selado" especialmente nos animais de lida. Isto permite mudanças rápidas de direção e grande resistência ao peso do cavaleiro e arreamentos. De perfil, é aceitável o declive gradual de 5º a 8º da garupa à base da cernelha. O vértice da cernelha e a junção do lombo com a garupa devem estar aproximadamente no mesmo nível.
Cernelha-bem definida, de altura e espessura médias.
DORSO - bem musculado ao lado das vértebras e, visto de perfil, com muita discreta inclinação de trás para frente. Tendo aparência semi-chata, o arreamento comum deve cobrir toda essa área.
Lombo - curto, com musculatura acentuadamente forte.
Garupa - longa, discretamente inclinada, para permitir ao animal manter os posteriores normalmente embaixo da massa (engajamento natural).
Peito - profundo e amplo. O peito, visto de perfil, deve ultrapassar nitidamente a linha dos antebraços, estreitando-se, porém, no ponto superior da curvatura, de forma a diferenciar-se nitidamente do pescoço. Vista de frente, a interaxila tem forma de "V" invertido, devido à desenvolvida musculatura dos braços e antebraços.
Tórax - amplo, com costelas largas, próximas, inclinadas, elásticas. O cilhadouro deve ser bem mais baixo que o codilho.
MEMBROS ANTERIORES
Espádua
- deve ter ângulo de aproximadamente 45º, denotado, equilíbrio e permitindo a absorção dos choques transmitidos pelos membros.
Braços - musculosos interna e externamente.
Antebraços - o prolongamento da musculatura interna dos braços proporciona ao bordo inferior do peito, quando visto de frente, a forma de "V" invertido, dando ao cavalo a aparência atlética e saudável. Externamente, a musculatura do antebraço também é pronunciada. O comprimento do antebraço é um terço a um quarto maior que a canela.
Joelhos - vistos de frente são cheios, grandes e redondos; vistos de perfil, retos e sem desvios.
Canelas - não muito curtas. Vistas de lado, são chatas, seguindo o prumo do joelho ao boleto; vista de frente, igualmente sem desvios.
Quartelas - de comprimento médio, limpas, em ângulo de 45º, idêntico a da espádua, e continuam pelos cascos com a mesma inclinação.
Cascos - de tamanho médio, formato aproximadamente semi-circular, com talões bem afastados, sem desvios.
MEMBROS POSTERIORES
Coxas - longas, largas, planas, poderosas, bem conformadas, fortemente musculadas, mais largas que a garupa.
Soldra - recoberta por musculatura bem destacada, poderosa.
Pernas - muito musculosas. Essencialmente importante é o desenvolvimento muscular homogêneo, tanto interno quanto externamente.
Jarretes - baixos. Por trás, são largos, limpos, aprumados; de perfil, largos, poderosos, estendendo-se em retaaté os boletos.
Canelas - mais largas discretamente mais longas e mais grossas que as anteriores. De lado, são chatas. São convenientes canelas mais curtas, tornando o jarrete mais próximo do solo, permitindo voltas rápidas e paradas curtas.
O CAVALO ABQM NO BRASIL
Ainda, de acordo com a ABQM (2008), tudo começou em 1955, quando a Swift-King Ranch (SKR) importou seis animais dos Estados Unidos para o Brasil, vindos de sua matriz norte-americana, a famosa King Ranch, no Texas, a maior fazenda dos EUA. À medida que vários pecuaristas, banqueiros e homens de negócios tiveram a oportunidade de conhecer os animais Quarto de Milha, começaram a pressionar a SKR para que lhes vendessem alguns exemplares. A companhia atendeu a poucos criadores, vendendo um número reduzido de potros.
Em 15 de agosto de 1969, foi fundada a Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha (ABQM), no Parque da Água Branca, em São Paulo, onde se encontra atualmente.
Atualmente, o plantel brasileiro é composto, segundo dados fornecidos pelo Stud Book da ABQM, atualizados até 31/12/2006, por 309.000 mil animais registrados, com 46,9 mil criadores e proprietários e cadastrados, espalhados por todos os estados brasileiros.
CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO
O haras 4x4 propriedade com nove hectares de várzea localizada na BR: 304 km 117- Assú/RN próximo ao rio Piranhas-Assú.
ESTRUTURA:
O haras 4x4 será composto de vários animais de raça quarto de milha. Terá local apropriado em uma propriedade excelente para criação de animais, uma casa, uma apartamento, armazém, 05 baias,(4x5) armazém(selaria e rações) estábulo(7x10), 08 piquetes (10x10) campo de fenação, veiculo para transporte dos animais, trailer , poço, irrigação completa eletrificação, cerca com 8 fio de arame, tanque com a capacidade de 50 mil litros d’água, plantação de milho, feijão, feno, manga, caju, acerola, pinha, graviola, umbu, e seriguela, 01 vaca leiteira, 07 cavalos, 01 charrete.
Todavia, os Cavalos da raça Quarto de Milha se apresentam como os animais mais versáteis. Com características especiais, o cavalo movimenta milhões de dólares pelo mundo inteiro através de corridas e esportes, além de grandes exposições, cavalgadas e festas, exclusivas destinadas ao comércio de produtos característicos e as competições que julgam a habilidade, qualidade e beleza deste animal.

Os cavalos do Haras 4x4 em estudo, além de possuírem estas aptidões, apresentam outros atributos em comum: todos têm uma conformação equilibrada, excelentes movimentação e capacidade atlética para as competições de vaquejada e cavalgadas. São treinados diariamente para suas funções, possuindo um temperamento calmo e equilibrado, fundamental para o desenvolvimento de suas atividades.







Cel. Domingos e Cel. Patrick

Cel. Marcos Fred e Cel. Fredelian


Cel. Domingos


Dona Edna

Cel. Paulo Fred


Pampinha



Baias


Charrete


Piquetes